sábado, 6 de setembro de 2014

O que é a política?

"É preciso pensar em política, se não pensarmos o bastante, seremos cruelmente punidos". Alain

Em tempos de eleição, é importante nos assegurarmos do básico. Nesse sentido, gostaríamos de compartilhar um texto do filósofo francês André Comte Sponville sobre o tema, pois a reflexão sobre a política é um dever de todo cidadão.

A Política 

O homem é um animal sociável: só pode viver e se desenvolver entre seus semelhantes.

Mas também é um animal egoísta. Sua "insociável sociabilidade" faz com que ele não possa prescindir dos outros nem renunciar, por eles, à satisfação dos seus próprios desejos.

É por isso que necessitamos da política. Para que os conflitos de interesses se resolvam sem recurso à violência. Para escapar da guerra, do medo, da barbárie.

É por isso que precisamos de um Estado. Não porque os homens são bons ou justos, mas porque não são. 

O que é política? É a gestão não guerreira dos conflitos, das alianças e das relações de força - não entre indivíduos, mas na escala da sociedade. É portanto a arte de viver juntos, com pessoas que não escolhemos, pelas quais não temos nenhum afeto, e que são, sob muitos aspectos, nossos rivais tanto quanto ou mais que aliadas. Isso supõe um poder comum e uma luta pelo poder. Supõe a discordância, o conflito, a contradição. A política nos une, nos opondo: ela nos opõe sobre a melhor maneira de nos reunir. Isso não tem fim.

Não nos enganemos. Contar com o humanitarismo para fazer as vezes de política externa, com a caridade para fazer as vezes de política social e até mesmo antirracismo para fazer as vezes de política de imigração, é evidentemente conversa fiada. Não claro que o humanitarismo, a caridade ou o antirracismo não sejam moralmente necessários; mas porque não poderiam bastar politicamente (se bastassem, não precisaríamos mais de política), nem resolver sozinhos um problema social qualquer.

A política não é o contrário do egoísmo, mas sua expressão coletiva e conflituosa: trata-se de sermos egoístas juntos, já que essa é a nossa sina, e da maneira mais eficaz possível. Como? Organizando convergência de interesses e é isso que se chama solidariedade.

Não basta esperar a justiça, a paz, a liberdade, a prosperidade. É preciso agir para defendê-las, para aprimorá-las, o que só se pode fazer eficazmente de forma coletiva e que, por isso, passa necessariamente pela política. 

"Fazer bem ao homem" (moral) não basta. É necessário também fazer uma sociedade que seja humana, e por isso é necessário refazê-la sempre, pelo menos em parte. O mundo não para de mudar; uma sociedade que não mudasse estaria fadada à ruína. Portanto é preciso agir, lutar, resistir, inventar, salvaguardar, transformar... É para isso que serve a política. Há tarefas mais interessantes? Pode ser. Mas não há, na escala da sociedade, tarefas mais urgentes. A história não espera; não fique bobamente esperando-a!

A história não é um destino, nem somente o que nos faz: ela é o que fazemos, juntos, que nos faz, e isso é a própria política.

- André C. Sponville

 

 

SPONVILLE. André Comte. A política. In: Apresentação da filosofia. Martins Fontes. São Paulo, 2002.