domingo, 15 de fevereiro de 2015

Sobre a Lucidez

O despertar da lucidez pode nunca acontecer. Mas quando acontece, se acontece, não se pode evitá-lo. E quando chega, é para sempre. Quando se percebe o absurdo, a falta de sentido da vida, então se percebe, também, que não há objetivos, que não há progresso. Entende-se, mesmo que não se queira aceitar, que a vida e a morte são consecutivas, são simultâneas e inseparáveis. Só se pode manter a sanidade e cumprir sua rotina de acordo com as regras, até com as que não acredita, é porque a lucidez nos faz ver que a vida é tão banal, que não pode ser vivida como uma tragédia.
 
 
*Trecho retirado do filme "Lugares Comuns" (2002), do diretor argentino Arastarain.