quarta-feira, 29 de julho de 2015

Por que jogar na mega sena é fria?

"Outra esperança sem esforço e sem lógica que o Estado organiza para tributar ainda mais a população é a miragem impossível da loteria, de que participam dezenas de milhares de infelizes apostadores por semana, em um sistema cuja possibilidade de acertar é menor, estatisticamente, do que a de ser atingido por um raio, mas que alimenta a esperança mágica de escapar da pobreza e da miséria".  
Samuel Pinheiro Guimarães  


A gente faz a "fézinha" toda semana e nunca rola o tão sonhado prêmio de milhões de reais que vai finalmente nos tirar da pobreza e do emprego tedioso e rotineiro. O que falta? Por que não conseguimos? Falta , falta sorte... podemos pensar... Se a sorte tem faltado para nós, simples mortais, a mesma não faltou para alguns políticos e delegados que já chegaram a ganhar 10 vezes seguidas em períodos bem curtos, como podemos averiguar no links abaixo...

http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u64015.shtml

https://www.youtube.com/watch?v=x6sePAAI-sc

Além da enganação que leva milhares de brasileiros, num sonho utópico de riqueza, a gastarem parcelas significativas de seus salários em apostas desse gênero, os jogos da loteria dão margem para atos de corrupção de vários tipos. O vídeo abaixo, aponta algumas dessas "brechas". 
Por conta de todas estas tristes constatações, só podemos concluir que os jogos da loteria são "fria"!  

segunda-feira, 20 de julho de 2015

SObre a inveja nossa de cada dia...

"A inveja é tão vil e vergonhosa que ninguém se atreve a confessá-la". Ramon Cajál

Como muitos sabem, o autor desse Blog é músico nas horas em que pode. Recentemente, resolvi vender uma peça do meu instrumento que eu nunca havia usado e também não tinha planos de usar futuramente. De inicio, trocar por algo do meu interesse ou mesmo vender me pareceu uma boa ideia. Anunciei num desses sites de classificados e vendi rapidamente. Até aqui tudo bem, o problema é que o comprador, procurando não ser enganado me adicionou  no facebook, para que a negociação tivesse mais segurança. Até aqui, tudo bem. O problema foi quando a mercadoria chegou até ele. A pessoa postou uma foto da nova aquisição, elogiando a qualidade do produto e gabando-se de ter pago um preço interessante, estava feliz da vida... Foi o bastante para que no mesmo instante a peça vendida me fizesse a maior falta!
Esse "causo" real que divido com vocês ilustra o quanto a felicidade alheia pode nos incomodar. A força motriz de tal incomodo está na inveja, esse sentimento tão complexo e indigno. 
A palestra do prof. Leandro Karnal, que hoje sugiro, explora de maneira brilhante as variantes do tema. Vale a pena conferir!


sexta-feira, 17 de julho de 2015

Sobre a esperança e o desespero

É verdadeiro argumento que diz que a esperança faz viver? Sim e não. Quer dizer, muitas pessoas só conseguem suportar suas desilusões sucessivas se cada vez mais se consolar com novas esperanças.  A vida continua assim., de esperanças em decepções, de decepções em esperanças.  Não podemos condenar tais pessoas, cada um vive como pode. Mas, se a esperança faz viver, na verdade faz viver mal: de tanto se esperar viver, não se vive nunca, ou então só se vive essa alternância de esperanças e decepções, na qual o medo (já que não há esperança sem temor) não cessa de nos afligir. Melhor seria sair desse ciclo, e no fundo é o que chamo de sabedoria ou desespero. Na verdade, não é a esperança que faz viver, é o desejo, de que a esperança é apenas uma das formas, e não a única nem a principal.
André Comte Sponville, Trecho de "O amor à solidão"