quarta-feira, 9 de março de 2016

Verdade e conflito - Titãs - Boa música e reflexão

Banda Titãs - Boa música e reflexão


"Mais vale uma verdadeira tristeza, do que uma falsa alegria". André Comte Sponville

Depois de um bom intervalo entre as postagens, voltei. A pausa foi necessária, e agora volto com uma motivação menos egoísta, mais desinteressada.
Ao assunto...
As vezes, uma verdade pode nos entristecer, afinal, nem sempre as verdades são alegres... Porém, mesmo diante da angústia que uma constatação desse tipo pode nos proporcionar, é necessário coragem e determinação para seguir em frente (Na real, não temos muita opção, a não ser a ilusão...). A música "Não vou lutar" dos Titãs, fala sobre isso. Aceitar as coisas, o mundo, como ele é. O conflito existe, e pode ser suscitado por diversos motivos: religião, sexualidade, ideologia, política e etc. Cabe ao indivíduo aprender a lidar.
 

Não vou  lutar contra o que eu sinto
Vou me entregar, como um soldado
cansado e faminto
Não vou lutar contra o que eu sinto
Porque a verdade explode cada vez que eu minto
Não posso mais viver em conflito


Não vou negar o que é tão claro
Vou me entregar em tudo que eu faço, em tudo que eu falo
Não vou negar o que é tão claro
Porque a verdade explode mesmo quando eu me calo
não posso mais viver sem estar ao seu lado

Não vou  lutar contra o que eu sinto
Não vou  lutar contra o que eu sinto

Porque a verdade explode cada vez que eu minto
Não posso mais viver em conflito

Não vou  lutar contra o que eu sinto
Não vou  lutar contra o que eu sinto





sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Sobre a inveja, o sentimento vergonhoso

Maldita inveja!
Sentimento mesquinho, vergonhoso.
Que mostra a nós mesmos tudo o que NÃO temos.
O que gostaríamos de ter...

Maldita inveja!
Movimento de olhar para o outro, comparar, se rebaixar.
Labirinto onde a saída não conseguimos ver.

Porém, deve haver uma forma, uma saída.
Fugir a tudo isso!
Teseu, me ensine a tua arte para lidar com esse sentimento!
.
.
.
Ah!
Agora entendo!
O movimento esta incompleto, por isso o mal-estar.
Ao olhar para o outro, para o que eu (ainda) não tenho,
Esqueci de voltar a mim, e ver o que (já) tenho.